Esta semana a divulgação de nomes completos de magistrados mato-grossenses investigados parece ter caído como uma bomba sobre o Tribunal de Justiça de Mato Grosso. Afinal, juízes e desembargadores são quase deuses. Intocáveis, supremos, inatingíveis, acima da lei. Ninguém pode ousar contra os homens da toga.
Na verdade, eles não são humanos. Ou melhor: são imortais. Há uma distância astronômica entre um juiz ou desembargador e o cidadão comum. O pobre mortal.
Este, coitado, tem seu nome exposto pelo próprio Tribunal de Justiça se,por exemplo, deixa de pagar o IPTU. É processado e tem seu imóvel subtraído ao bem da administração pública. Mas se um paladino da Justiça responde a processos, tudo deve correr em segredo, longe dos olhos da sociedade.
Se o pobre mortal furta uma cesta básica, é preso e quase obrigado a ter sua cara exposta em programas policiais de TV. É jogado num cubículo fétido e sujo nos fundos de uma delegacia até que algum parente faça a “correria” para retira-lo da cadeia.
Se um juiz ou magistrado responde a processo por pedofilia, estupro, associação ao tráfico de drogas, por vender sentenças ou permitir a saída de traficantes do presídio para passeios no litoral… aposentadoria compulsória! O dono da toga ganha um prêmio ao invés de ser enquadrado no Código Penal. Aliás, o Código Penal está tão velho, tão velho, que Alzheimer é a sua doença mais branda.
E se o pobre mortal resolve cita o nome de juízes ou magistrados investigados, é processado e condenado a vender até a meia para pagar os melhores advogados de defesa. Porque para encarar um imortal, só mesmo um “advogado do diabo” muito bem remunerado. Como o pobre mortal não tem um caminhão de dinheiro para se defender, vai logo ficando de bico calado.
Opa! Tst… tst… tst… Esse tempo de mordaça contra os deuses já passou. A democracia, a liberdade de expressão, a transparência, a igualdade de diretos, tudo rema a favor dos pobres mortais. Essa onda crescente ganha corpo nesta era digital e já representa uma ameaça contra os poderosos de plantão. A supremacia da minoria está indo por terra.
Mensaleiros, sanguessugas, vendedores de sentenças, corruptos de toda a sorte que fiquem espertos porque a massa está trabalhando estrategicamente e pode surgir como um tsunami, saindo do virtual para dentro dos luxuosos gabinetes, onde são servidos cappuccinos e chás de morango com hortelã em xícaras de porcelana, tudo financiado com o dinheiro dos pobres mortais, os verdadeiros patrões dos deuses.
Sandra Carvalho, pobre mortal, é jornalista em Mato Grosso, [email protected]
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Leo Fernandes
9 anos atrás

Belo texto!
Que Deus a proteja sempre e que seu trabalho possa ser cada vez melhor, precisamos de pessoas informadas e destemidas.
parabéns!

Abraão Ribeiro
Abraão Ribeiro
9 anos atrás

Sandroca, parabéns! Seu texto: "Os pobres são os verdadeiros patrões dos imortais", é uma verdadeira análise do cotidiano desses "quase deuses" que, como ratazanas, roem e corroem o dinheiro público. E o pior, toda essa gastança é LEGALIZADA!!! E o engraçado é que não se pode contrariar ou apenas questionar um deles, porque senão estamos "faltando com o respeito" para com os "célebres" magistrados.. Parabéns amiga, este pobre mortal aqui está contigo. Abraão Ribeiro