O Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Sintraf) de Nortelândia, no Médio Norte de Mato Grosso, promoverá neste dia 1º de maio, domingo, o “Grito da Terra” em defesa do aproveitamento racional do solo e seus recursos naturais e em repúdio aos prejuízos que estariam sendo provocados pela Fazenda Camargo Correa (Arrossensal  Agropecuária e Industrial S/A) ao meio ambiente na região. “Também queremos agilidade no processo de desapropriação da fazenda para fins de reforma agrária”, informa Josafá da Rocha, presidente do Sintraf.
Ele explica que a manifestação está embasada no Artigo 184 da Constituição Federal, onde consta que compete à União desapropriar por interesse social, para fins de reforma agrária, o imóvel rural que não esteja cumprindo sua função social.
E em seu Artigo 186 a Constituição diz que a função social é cumprida quando a propriedade rural utiliza adequadamente os seus recursos naturais disponíveis e promove a preservação do meio ambiente, cumpre as disposições que regulam as relações de trabalho e a exploração da terra favoreça o bem-estar dos proprietários e dos trabalhadores.
“O INCRA já está vistoriando a Fazenda Camargo em Nortelândia para fins de reforma agrária, e isso também será discutido durante o Grito da Terra”, observa Josafá, explicando que a manifestação ocorrerá no Dia do Trabalhador,  e a saída está prevista para as 13 horas do Posto Beira Rio, passando pela Avenida Principal e encerrando na Praça Edgard Araújo.
“Nosso movimento está organizado porque queremos lutar pelo que é justo, sem atingir a moral dos donos da fazenda do grupo Camargo Correa. Mas, se ficar provado que ela é improdutiva, vamos requerer 68 mil hectares para assentar 4 mil famílias”, explica o líder do movimento, Josafá Santos da Rocha.
De acordo com Rocha, a Fazenda Arrossensal já foi notificada pelo Incra. Ela ocupa 68 mil hectares de Nortelândia que é um dos municípios mato-grossenses que teve a economia exaurida com fim do garimpo e está entre as cidades que tem baixo Índice de Desenvolvimento Humano (IDH).
O Sintraf é uma das entidades que faz parte do movimento Mãos que Alimentam a Nação. Além de Nortelândia, o movimento é formado por trabalhadores de Arenápolis, Diamantino, Barra do Bugres, Tangará da Serra, Nova Olímpia e Nova Mutum. “A terra é a garantia que temos para sobreviver e criar nossos filhos”, acrescenta o produtor rural, Paulino Tavares, que reside há 28 anos em Nortelândia.
SINTRAF – O primeiro Sindicato dos Trabalhadores e Trabalhadoras na Agricultura Familiar (Sintraf) foi fundado pelos assentados do P. A Raimundo da Rocha, localizado na antiga Fazenda Barreirão, a cerca de 15 quilômetros de Nortelândia.
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments