Sandra Carvalho
Site No Poder

A Secretaria de Saúde de Cuiabá ganhou 113 novos cargos de confiança e de livre nomeação do prefeito Chico Galindo (cargos de confiança), conhecido com DAS (Direção de Assessoramento Superior) em agosto deste ano. Os cargos teriam sido criados como moeda de troca para que vereadores votassem a favor da concessão da Sanecap. Esse grande número de novos cargos já seria também uma antecipação da eleição municipal de 2012.

Enquanto isso, faltam profissionais de várias áreas na assistência, prestadores de serviço estão sem receber, programas essenciais estão sucateados, o que vem comprometendo a qualidade do atendimento ao usuário do SUS, o grande sacrificado em toda esta história.
De acordo com o Decreto, o prefeito Chico Galindo criou 02 cargos DAS 2 (a nível de secretaria adjunta), 72 cargos DAS 3 (a nivel de diretoria), 18 cargos DAS 4, 27 cargos DAS 5 e 4 cargos DAS 6. O mais curioso é que o prefeito criou 50 novos cargos a nível de diretoria. Ou seja, tem mais cacique do que índio na Secretaria de Saúde de Cuiabá, uma das mais complexas e fundamentais no serviço público.
Questionado sobre o decreto, o ex-secretário de saúde de Cuiabá, Luiz Sores, criticou a atitude do prefeito, considerando um absurdo a criação de tantos cargos de confiança em detrimento da contratação de profissionais de saúde.
“Ele anunciou, tempos atrás, a demissão em massa de profissionais contratados pela secretaria de Saúde e agora cria 113 cargos comissionados”, observou. Até 2009, quando Luiz Soares era titular da pasta, havia apenas 10 cargos DAS 3 (diretores e assessores). Agora são 72.
Luiz Soares, ex-secretário de Saúde.
O ex-secretário vê com preocupação os problemas na assistência à saúde do cidadão, citando como exemplo a falta de insumos nas clínicas odontológicas (o atendimento está comprometido), a falta de profissionais do Programa Escola com Saúde, criado para levar atendimento a crianças e adolescentes nas escolas, a falta de veículos para serviços essenciais por falta de pagamento à locadora, e a falta de profissionais para atender o usuário, desde técnico de enfermagem à médicos especialistas.
Indignado, Soares lamenta que os vereadores de Cuiabá tenham aprovado a criação dos novos cargos, ao contrário da Assembleia Legislativa, onde os deputados reduziram os cargos da Secretaria Extraordinária da Copa para desonerar os cofres públicos. http://www.nopoder.com.br
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Gustavo Infest
9 anos atrás

Enquanto esperamos na fila de um hospital até morrermos, milhões e milhões de reais serão gostos nas construções dos estádios, e outros milhões serão em cada um dos 4 jogos da copa que serão realizado em Cuiabá. Só que pra saúde e outras necessidades o Governo não tem dim dim, sacanagem. =/

Leo Fernandes
9 anos atrás

É menina…
A coisa pública ficou tão pública que dá medo!
Bons tempos quando a coisa pública era para a sociedade que pagava seus impostos e tinha lá seu lugar ao sol, não que isso era perfeito, mas não se morria nas portas dos hospitais sem atendimento.Veja que descarado é o Sr. Galindo bom saber disso porque esse não terá meu voto jamais!