Sandra Carvalho, de Alto Boa Vista
Visivelmente revoltados com a invasão de cerca de 200 índios à fazenda Velho Oeste, na área denominada Suiá Missú, município de Alto Boa Vista (1.060 km de Cuiabá), palco de conflito há cerca de 60 anos, fazendeiros alertam: “Vamos partir pra cima deles, não vamos mais resistir”. Hoje (12/05), proprietários de gado que alugaram o pasto da fazenda ocupada já previam prejuízos. São cerca de 4 mil cabeças na área.e que segundo eles podem morrer por falta de água já que os índios teriam lacrado a bomba.
Francisco Pereira da Silva tem 162 cabeças de gado na propriedade e é um dos mais indignados com a forma violenta utilizada pelos indígenas. “Fui amarrado e eles disseram que iam me castrar. Só fiquei ligado em Deus nessa hora. Só ele para nos livrar nesse momento”, conta, lembrando que os fazendeiros já apelaram para autoridades de todas as esferas na tentativa de resolver o impasse e evitar o conflito, sem sucesso.
Quem também não esconde a revolta é Alípio Porfírio, que tem 580 cabeças de gado pastando na fazenda. “Se eles realmente trancaram a bomba d’água, já deve ter gado morrendo lá dentro”, alerta, acreditando que esse tipo de atitude violenta praticada pelos índios é resultado da impunidade, do que ele chama de falta de lei para os índios. “Eles matam o gado, saqueiam as fazendas, fazem o que querem e não são punidos”, completa.
A vereadora Irene Maria dos Santos (DEM) está na localidade de Posto da Mata, em Alto Boa Vista, junto às pessoas que foram expulsas da fazenda Velho Oeste. “Percebemos que moradores Suiá Missú estão vivendo momentos de muita aflição”, conta ela, que ´mora na região e acompanha há 20 anos o conflito. (com Vanessa Lima, de O Repórter do Araguaia)
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments