Uma nova ferramenta disponibilizada pela Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag-MT), a partir do cruzamento de microdados do Sistema de Avaliação da Educação Básica (SAEB), vai contribuir de forma muito mais efetiva para que pesquisadores analisem, comparem e interpretem as informações por ele disponibilizadas e, consequentemente, para a criação de políticas públicas muito mais adequadas.

A ferramenta, criada pelo gestor governamental Alexandre Campos, oferece muitas possibilidades de filtros e cruzamentos de dados dos professores da educação básica referentes a 2013, 2015 e 2017, permitindo aos pesquisadores a análise e monitoramento da evolução das informações. Em breve serão inseridos os dados de 2019 também.

Nesta quinta-feira (20) Alexandre Campos deu um treinamento por videoconferência sobre como usar a ferramenta para representantes do Ministério Público Estadual (MP-MT), da Secretaria de Estado de Educação (Seduc-MT), Conselho Estadual de Educação, da Escola de Governo e da Seplag-MT.

“Não foi só apresentar o painel, mas uma importante oportunidade de diálogo entre os atores sobre a importância de atuarem juntos na gestão de dados e informações educacionais”, pontua o gestor governamental.

Sobre o SAEB

Alexandre Campos, que atualmente está na Escola de Governo, explica que o SAEB é um sistema de avaliação de larga escala, prestes a completar 30 anos,  que reúne resultados da aprendizagem dos alunos e também dos questionários contextuais aplicados a diretores, professores e alunos das escolas de todas as redes do Brasil.

Os dados disponibilizados no portal do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP), analisa o gestor governamental, são muito áridos para um analista iniciante.

“O INEP disponibiliza dados brutos, e para conseguir analisar é preciso ter um pouco mais de familiaridade com os microdados, saber as extensões dos arquivos, que ferramentas serão utilizadas para importar esses arquivos, entender que o dicionário de dados é um arquivo a parte, entre outros”, relata.

Campos ressalta que já houve uma tentativa de melhorar a disponibilização dos dados da educação com a criação da plataforma QEDU, que ele considera um site bastante interessante, com várias opções de pesquisa, com resultados em percentual e valores absolutos, porém com algumas limitações.

A primeira delas é que os dados são apenas de 2017, sem resultado de anos anteriores, o que não permite analisar a evolução. Também não está disponibilizado o Ensino Médio e nem os dados da rede privada. Outra limitação é não permitir o cruzamento de variáveis.

Iniciativa

Percebendo a necessidade dos dados serem apresentados de uma forma mais dinâmica e com várias possibilidades, Alexandre Campos decidiu criar um novo painel. “Nós organizamos para os dados serem apresentados de uma forma mais fácil para quem quiser cruzar informações e tirar algumas conclusões simples sobre o que esses questionários estão respondendo a respeito dos professores do Brasil”, esclarece.

“O Painel disponibiliza os dados e cabe ao pesquisador, dependendo da necessidade específica da sua pesquisa, realizar os filtros, as comparações e interpretar à luz da literatura sobre o tema. Não há ferramenta quantitativa que prescinda de uma boa análise qualitativa”, contextualiza o gestor governamental.

Endereço do Painel de Monitoramento: paineldemonitoramento.seplag.mt.gov.br

0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments