O prefeito de Cuiabá, Chico Galindo está alegando que demitiu 300 funcionários contratados pela Secretaria de Saúde de Cuiabá da área administrativa para que aprovados em concurso ocupem os seus cargos. No entanto, no último concurso realizado em 2007 não foram ofertadas vagas para o setor administrativo. Mais 300 da área fim serão demitidos, segundo o próprio prefeito.
Na edição do jornal A Gazeta de hoje, uma nota traz a seguinte informação: “Prefeitura de Cuiabá vai dispensar cerca de 600 funcionários da área de saúde, sendo 300 administrativos e 300 profissionais fim, dando prioridade para a capacitação e para o ingresso no serviço público através de concurso como preceitua a Constituição Federal. A informação é do prefeito Chico Galindo (PTB), que fez questão de esclarecer que essas demissões já estavam previstas e sendo paulatinamente programadas, não tendo sido as mesmas desferidas por causa dos últimos acontecimentos envolvendo denuncias de venda de atendimento para os pacientes do Sistema Único de Saúde, o SUS”.
Acontece que não há como convocar aprovados se não houve concurso. Houve, sim, concurso com cerca de 800 vagas para áreas fins e todos já foram convocados.
Hoje (09/05) pela manhã mais de 100 contratados foram para a porta da Secretaria de Saúde de Cuiabá protestar contra as demissões. Eles chegaram a dizer que se forem mantidas as demissões, alguns setores do Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá vão parar de funcionar. Equipes reduzidas não garantiriam a qualidade dos serviços e nem condições de trabalho.
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
1 Comentário
mais antigo
mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Anônimo
Anônimo
9 anos atrás

como fica as familias desses funcionarios que foram demitidos,será que esse secretário nao poderia simplismente renovar os contratos e os funcionarios comessassem do zero.Talvez não seja a familia dele e nem do prefeito que irá sofrer consequençias ficando sem emprego muintos até passarão fome por dependerem apenas desse emprego.Falta Deus no coração deles.