O video foi produzido pela equipe do Leverger News

Na reta final de sua 6ª edição, o Campeonato Peladão, promovido pela Prefeitura de Cuiabá, continua gerando polêmica. Durante julgamento de recurso da equipe do Nova Fronteira contra o Jardim Vitória, o coordenador do evento, Cláudio Kisque, disse abertamente que sua preferência era pelo Vitória, cujo presidente chora ao ser anunciado o retorno da partida porque um de seus atletas estava irregular. O time foi eliminado e o Nova Fronteira foi para as quartas de final.

O atleta em questão é o Biro-Biro, que foi expulso de campo após agredir, dia 12 de setembro de 2010, com socos e pontapés o árbitro Cláudio Sampaio numa partida do Campeonato de Veteranos no bairro 1º de Março entre Sede e Potiguas. Por esse motivo ele ficou impedido de participar da 6ª edição do Peladão, que teve início em novembro passado, seguindo o regulamento do campeonato.
Dia 15 de setembro, três dias depois da agressão, o Conselho Disciplinar do programa Amadorismo no Ar, comandando pelo coordenador do Peladão, Claudio Kisque, decidiu por unanimidade eliminar por um ano o atleta Geraldo Edgar Arruda, o Biro-Biro, dos campeonatos de departamentos, ligas e do 6º Peladão. O professor Bosco Cruz, o filho de coordenador, Claudésio Kisque, e Arildo Leite, diretor dos árbitros, também participaram da votação.
Com o início do Peladão, o Jardim Vitória acabou assinando o Biro-Biro, mesmo eliminado. A coordenação do campeonato teria tomado conhecimento e, ainda assim, consentido sua participação no evento.
Ao perder nas oitavas de final para o Jardim Vitória, o Nova Fronteira reagiu e entrou com recurso pedindo eliminação da equipe por jogar com atleta irregular. A defesa agiu rápido e a coordenação não teve outra saída a não ser voltar a partida.
No julgamento do recurso do Nova Fronteira, o presidente do Jardim Vitória chorou ao ficar decidido o retorno da partida. Cláudio Kisque reconheceu a falha, mas falou abertamente que defendia o Jardim Vitória. O clima foi tenso durante o novo jogo do Nova Fronteira contra o Vitória, realizada sábado passado no mini-estádio Moinho. O advogado de defesa do Nova Fronteira, Benedito Rubens, chegou a ser ameaçado por torcedores.
“Na verdade, pelo regulamento, os pontos deveriam ser dados direto para o Nova Fronteira e nem precisaríamos entrar com recursos. Sobre as retaliações, estou tranquilo. Advogo há 22 anos, minha mãe me criou ensinando bons princípios a partida contra o Vitória voltou porque o direito está claro e garantindo no regulamento do campeonato”, afirma Benedito Rubens.
Ronei de Pinho, técnico do Nova Fronteira, reclama da falta de organização do Peladão. “Temos ainda muitas falhas de arbitragem. Hoje vou fazer um protesto contra o jogo de sábado. Levamos um gol de mão”, conta, revoltado com o que ele chama de falta de respeito com o futebol amador.
No Dom Aquino, Adilson José de Arruda conta que não leva o time do Morro nunca mais para o Peladão. “Há dois anos não participamos mais do campeonato porque parece que as cartas são marcadas”.
Cláudio Kisque, que coordena o Peladão desde a sua primeira edição, diz que não está se importando com as críticas. “Deixe eles falarem, eu continuo trabalhando”, resume.
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 votes
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
2 Comentários
mais antigo
mais novo mais votado
Inline Feedbacks
View all comments
Anônimo
Anônimo
11 anos atrás

Demorou, mas caiu a máscara deste CLÁUDIO KISQUI, pessoa que se acha dono do PELADÃO mas que, desta vez, achou um osso duro de roer, o DR. BENEDITO RUBENS, que pelo vídeo que assistimos, notamos que sabe ser exato e capaz naquilo que pretende ter. Parabéns ao ENIO AUGUSTO, Presidente do Nova Fronteira, por ter escolhido como nosso defensor este ADVOGADO DO DIABO, que, entra para ganhar e não dá mole pra ninguém. Torcida Organizada do NOVA FRONTEIRA, sábado que vem, 15:30 horas LEVERGER DESCERÁ PRO MINI-ESTÁDIO DO MOINHO em Cuiabá!

Anônimo
Anônimo
11 anos atrás

Parabéns ao NOVA FRONTEIRA, foram buscar quem manda e entende em termos de JUSTIÇA DESPORTIVA, sou Mixtense, este dr. DITO RUBENS, apesar de amado por uns e odiados por outros, mostrou que conhece e é competente. Agora, vexatória em todos os sentidos, foi o desabafo do Cláudio Quiesqui, que assumiu seu erro e falha e deu claras provas que é PARCIAL, afirmou, estar torcendo e querendo ajudar o JARDIM VITÓRIA, não pode e nem tem moral, para continuar como Coordenador-Geral do Peladão, com a palavra o Secretário de Esporte e Prefeito de Cuiabá.