Neste mês é celebrado o “Outubro Rosa”, campanha que destaca a importância do diagnóstico precoce e tratamento do câncer de mama, o tipo de tumor mais comum entre as mulheres brasileiras. Além da má qualidade de vida ser fator de risco para o desenvolvimento da doença, a idade e a genética também pode desencadear o câncer, conforme explica Dr. Germano Alves, médico de família da Clínica Vida Diagnóstico e Germano Alves, Clínica Vida, Saúde.

“É muito importante identificar pacientes em estágio inicial e rastrear pacientes assintomáticas auxilia na redução da mortalidade e a morbidade das pacientes”, orienta.

Dr. Germano Alves aponta que quatro em cada cinco casos de câncer de mama ocorrem após os 50 anos. Para além, disso tem os fatores de risco que são ambientais e comportamentais, como a obesidade e sobrepeso após a menopausa, sedentarismo, consumo de bebida alcoólica e exposição frequente a radiações ionizantes, o raio-x.

“Fatores reprodutivos e hormonais que são risco para o tumor é ter a primeira menstruação antes dos 12 anos, nunca ter tido filhos, ter a primeira gestação após os 30 anos, menopausa após os 55 anos, uso de contraceptivos hormonais, reposição hormonal pós-menopausa, principalmente por mais de cinco anos”, explica.

O médico diz que também se leva em consideração a história familiar quanto ao câncer de ovário, casos de câncer de mama na família, principalmente antes dos 50 anos, história do câncer de mama em homens da família e alteração genética.

Ele destaca que a mulher que possui um ou mais desses fatores genéticos/hereditários é considerado com risco elevado para o câncer de mama.

Sintomas do tumor       

Entre os sinais da presença do câncer de mama está a presença de um nódulo endurecido, abaulamento de uma parte da mama, inchaço e vermelhidão na pele, inversão do mamilo, sensação de massa ou nódulo em uma das mamas.

“É importante que os pacientes façam o autoexame, toquem na mama para perceber qualquer anormalidade”, diz Dr. Germano Alves ao descrever como realizar o procedimento.

De pé, em frente ao espelho, observe o bico dos seios, a superfície e o contorno das mamas. Ainda de pé, levante os braços e observe se os movimentos alteram o contorno e a superfície da mama.

Deitada, com a mão direita, apalpe a mama esquerda. Realize movimentos circulares suaves, apertando levemente com a ponta dos dedos. Repita o processo com o lado direito. Já durante o banho, com a pele ensaboada, eleve o braço direito e deslize os dedos da mão esquerda suavemente sobre a mama direita estendendo até a direita. Repita novamente com o outro lado.

O médico, para rastrear o câncer, pode solicitar uma ultrassonografia, mamografia, ou ressonância magnética, entre outros. O diagnóstico é confirmado a partir de biópsia.

Tratamento e prevenção

Geralmente o tratamento do câncer de mama tem início com uma cirurgia e é complementado com quimioterapia, radiação, hormonioterapia ou imunoterapia.

Após o tratamento, o médico responsável irá acompanhar o caso pelos próximos cinco anos a cada seis meses.

Já formas de prevenir o câncer envolvem uma boa qualidade de vida, ou seja, prática de exercícios, dieta balanceada, evitar estresse, álcool e controlar o peso.

Outubro Rosa

O movimento conhecido como “Outubro Rosa” é internacional e foi criado no início da década de 1990, nos Estados Unidos da América. Celebrada anualmente, a campanha trata sobre a detecção precoce do tumor.

0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments