Lançado sob o lema “90 Dias, 300 Máquinas e 1.000 Homens”, o programa Multiação, que trazia consigo a promessa de atender simultaneamente as quatro regiões de Cuiabá, completou dois meses no último dia 29. No entanto, a um mês do prazo final para conclusão dos serviços, o convênio com recursos totais de R$ 40 milhões, subsidiado por Governo Municipal e Estadual, está com o cronograma atrasado e as obras e ações comprometidas pela falta de qualidade.
O trabalho das equipes deveria ser descentralizado, mas concentra homens das quatro sub prefeituras em única região para realização de serviços básicos, como limpeza de ruas, patrolamento, encascalhamento e pintura de canteiros.
Além disso, a descrição de custos das operações, e modo como as atividades foram divididas entre as empreiteiras Encomind, Trimec e Nhambiquara, são guardados à sete chaves. E as máquinas modernas com cara de robôs da novela das sete? Que distribuem e prensam o material para a reconstituição do asfalto? Isso, só na Isaac Póvoas às 21h, não na periferia da Cidade Verde.
In loquo
De acordo com o itinerário da Secretaria Municipal de Infraestrutura, na última sexta-feira (27) quatro bairros da região Sul receberiam o serviço de tapa buracos. Mas, esses serviços não foram realizados nos locais indicados.
“Melhoria onde? Aqui? Quando?”, desacredita a manicure Rosângela Rodrigues, moradora do bairro Parque Geórgia, que seria o primeiro a receber as equipes. Ele é basicamente o entroncamento entre duas avenidas, a Avenida Principal, asfaltada até a metade, com a Avenida Campinas Verdes, ainda de terra.
O bairro carente não recebeu o serviço de tapa buracos, e não receberá nenhum outro oferecido pelo programa. Isso por que os pedidos para que isso aconteça por lá estão ‘parados’ na justiça, como nos informou a assessoria da Seminf. Ainda assim, o nome do bairro foi divulgado como recebedor do Programa (estranho?!).
E esse não foi o primeiro nem o único desencontro de informações. No bairro vizinho, o Parque Atalaia haviam duas equipes, cada uma com cerca de 10 homens e um caminhão cada, encarregados pelo serviço de limpeza e pintura de canteiros. Ao acreditar que um dos caminhões não retornaria, uma equipe foi embora às 14h30 (duas e trinta da tarde), horário em que muitos retornam ao batente. Não pareciam muito preocupados com o prazo, mais preocupados pareciam os outros que ainda ficaram para encaram o sol a pino.
Apesar da constatação, o sub prefeito da regional sul, Werley Rocha, afirmou que os trabalhos são realizados entre às 7h30 e às 17h. E que eles, os sub prefeitos, são quem fiscalizam cumprimento das metas e a jornada de trabalho – como fez questão de ilustrar posando na foto acima. Werley estava no bairro Real Parque que, espantem-se, não estava na lista divulgada (muita organização!).
O asfalto Real
Enquanto fiscalizava, o sub prefeito da regional sul, tentava explicar a um morador por que os caminhões desviavam de um ‘buraco’ na Avenida Dois, abaixo da Avenida Quatro, a principal, e não o consertavam. “Aquela rua foi feita pelo Estado, ‘erosou’ e ficou mais danificada com a chuva, é muito complicada de fazer, e a associação de moradores já entrou com ação no Ministério Público, mas por enquanto a situação é indefinida” ponderava.
Indefinida quer dizer parada. Na verdade a fatídica Avenida Dois é uma herança da extinta Secretaria Estadual de Infraestrutura, que em 2008 realizou essa e outras obras de pavimentação, anunciando que o material usado seria o CBUQ (Concreto Betuminoso Usinado a Quente).  Um material de primeira qualidade, considerado de maior durabilidade e resistência. Infelizmente, oito meses após a conclusão, o asfalto virou farelo e depois lamaçal.
Hoje quem responde por ela é a Secretaria Estadual de Transporte e Pavimentação Urbana, onde os responsáveis pelo buracão estão se movimentando, quer dizer, em viagem para Rondonópolis. E ninguém por lá soube explicar por que eles não resolveram o problema, já que o Multiação também é financiado pelo Estado.
Enquanto isso, os contribuintes não querem saber quem pariu o filho feio. Eles precisam que alguém conserte a cria. E aguardam para essa semana os serviços mais ‘avançados’ prometidos pela Seminf, como encascalhamento, tapa buracos e recapeamento .
Faltam 29 dias e reforçamos a promessa do prefeito Chico Galindo: “Serão contemplados todos os bairros de Cuiabá e a zona rural, incluindo as sedes dos distritos” (março de 2011). Reportagem de Aline Alves da Costa, da Turma do Epa.
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments