Ginecologista Sharon Cristine Paroneto de Sousa palestra sobre câncer de colo no Hospital São Judas Tadeu
Ginecologista Sharon Cristine Paroneto de Sousa palestra sobre câncer de colo no Hospital São Judas Tadeu - Foto Sandra Carvalho

A estimativa do Instituto Nacional de Câncer (Inca) para novos casos de câncer de colo de útero é de 16.590, em todo o Brasil. Em uma palestra realizada no último sábado (14), no Hospital São Judas Tadeu, em Cuiabá (MT), a ginecologista Sharon Cristine Paroneto de Sousa explicou que este câncer é causado pela infecção Papilomavírus Humanos – o HPV . O vírus pode ser 100% tratado até cinco anos antes do câncer, mas as mulheres precisam realizar os exames preventivos.

A médica informou que os principais tipos de câncer que afetam as mulheres são os de mama, intestino e colo do útero. Os vírus HPV infectam a pele ou as mucosas. A infecção é muito frequente e 100% das lesões provocadas são curadas, caso sejam diagnosticadas no início.

O vírus é transmitido por contato direto com a pelo ou a mucosa infectada, mas a principal forma é sexualmente. Isto é, contato oral-genital, genital-genital ou manual-genital. Não é necessário que ocorra penetração anal ou vaginal para seja transmitido.

Sharon Sousa explicou que a prevenção para a doença é simples e obrigatória para todas as mulheres acima de 25 anos ou após o início da vida sexual. O diagnóstico é realizado através do exame Papanicolau, também conhecido como preventivo ou citologia oncótica.

Segundo a ginecologista, menos de 40% das mulheres realizam esse exame periodicamente e mais de 30% dos resultados não são analisados por nenhum médico. O exame é feito através de uma simples coleta de material do colo do útero e deve ser feito anualmente até os 65 anos, por um profissional capacitado.

Com o preventivo sendo realizado periodicamente, as lesões pré-malignas podem ser diagnosticadas entre dois a cinco anos antes do início do câncer.

A infecção pode não demonstrar nenhum sintoma, mas também pode apresentar verrugas nos órgãos genitais. Esses sintomas podem desaparecer sozinho, mas a recomendação é de que um médico seja procurado.

Sobre vacina e prevenção

As vacinas que previnem o vírus HPV é distribuída gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS) e é indicada para meninas de nove a 14 anos e meninos de 11 a 14 anos. Além de pessoas transplantadas na faixa etária de nove a 26 anos.

Oportunidade

Margarida Alencastro, paciente do Hospital ?São Judas Tadeu, faz exame preventivo anualmente - Foto Sandra Carvalho
Margarida Alencastro, paciente do Hospital ?São Judas Tadeu, faz exame preventivo anualmente – Foto Sandra Carvalho

Margarida Alencastro, de 52 anos, é moradora do Jardim Imperial e paciente do Hospital São Judas Tadeu há cerca de 10 anos. Anualmente ela faz o exame preventivo. Neste último foi constatado um pele em seu útero e o tratamento está sendo feito com medicamentos. Caso evolua, poderá ser submetida a uma raspagem.

“Estou seguido certinho a medicação que a Dra. Sharon passou e se Deus quiser não vou precisar da raspagem”, disse a dona de casa, dando exemplo que cuidado com a própria saúde ao realizar o exame preventivo anual. Margarida disse, ainda, ter ficado muito satisfeita com a palestra. Ela saiu do Jardim Imperial para participar da atividade no hospital, localizado no Jardim Califórnia.

Paula Regina Alberto, mãe de dois adolescentes, aproveitou a oportunidade para tirar dúvidas sobre o HPV - Foto Sandra Carvalho
Paula Regina Alberto, mãe de dois adolescentes, aproveitou a oportunidade para tirar dúvidas sobre o HPV – Foto Sandra Carvalho

Mãe de dois adolescentes, Paula Regina Alberto, moradora do CPA 4, assistiu a palestra. Ela, que estava como acompanhante do marido internado no Hospital São Judas Tadeu, interagiu bastante com a médica. “Tirei várias dúvidas sobre HPV e vou orientar meu filhos”, afirmou.

0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments