Por Sandra Carvalho  / Circuito Mato Grosso

A Casa do Parque se prepara para ser cenário de uma homenagem prá lá de especial ao escritor e pintor Ricardo Guilherme Dicke e aos mantenedores de sua obra. A exposição será aberta nesta sexta-feira (15), às 18 horas, e deve atrair um universo de pessoas que sabem valorizar a arte que Dicke soube muito bem representar em livros, telas e levar aos palcos numa linguagem perfeita e revolucionária. Performances, declamações e música marcarão a inauguração do “Tempo Dicke”.

A primeira exposição de Dicke aconteceu em junho de 1965 no Grande Hotel, localizado na Avenida Getúlio Vargas, centro de Cuiabá. Hoje, 47 anos depois, A Casa do parque oferece um conjunto de peças elaboradas pelo escritor pintor e por artistas  a partir de obras deste inventor.
Telas, fotos, vídeos e cartazes ficarão expostos durante 15 dias na Casa do Parque, onde não será preciso pagar nada para fazer uma verdadeira viagem ao universo Dicke. “Abrir as portas da Casa do Parque para enaltecer o trabalho impecável deste escritor mato-grossense atesta o valor que este espaço cultural dá às obras regionais”, diz Flávia Salem, idealizadora da casa, cuja proposta é justamente promover, de forma eclética, a arte nas suas mais diferentes nuances.
Curador da exposição, Luiz Marchetti acrescenta que o trabalho de multiplicadores da pesquisa e da prática da obra de Dicke, como Gervane de Paula, Magna Domingos e Marilda Barros, é que o motivou a buscar o apoio da Casa do Parque para a difusão de um rico universo artístico “que precisa vibrar na atualidade”. Os visitantes da Casa do Parque poderão adquirir livros do autor e também livros exclusivos de Dicke ilustrados com pinturas de Adir Sodré.

História – O autor de Deus de Caim nasceu em Chapada dos Guimarães e, apesar da pouca notoriedade do grande público, era muito admirado por figuras como a escritora Hilda Hilst, que o chamou de gigante e chegou a compará-lo a Machado de Assis.

Dicke alcançou reconhecimento internacional quando sua obra O Salário dos Poetas foi descoberta pelos portugueses e levado aos palcos de Lisboa em 2005. O romance trata de um ditador latino-americano que encontra asilo político no Brasil e, já moribundo, decide contratar um escritor para escrever um “grande livro” que eternize a sua contribuição para a humanidade. 
O escritor chegou a viver no chamado eixo Rio – São Paulo – foi jornalista de O Globo e trabalhou no Rio de Janeiro. Mas voltou às origens e viveu até seus últimos dias em Cuiabá, onde faleceu aos 71 anos no dia 9 de julho de 2008.
Serviço:
EXPOSIÇÃO “TEMPO DICKE”
Inauguração: 15 de junho, 18h
Período: 15 de Junho a 15 de Julho.
Local: A Casa do Parque, ao lado do estacionamento dos fundos do Parque Mãe Bonifácia, Cuiabá.
Performances:  Banda Billy e o Magro de Bigodes, Wanda Marchetti e Romeu Benedicto
Curadoria:  Luiz Marchetti
Montagem: Tereza Pirajá
Informações: (65) 3365 4789
http://feeds.feedburner.com/blogdasandracarvalho
0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments