Após a nota de repúdio do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas no Estado de Mato Grosso (Sindmat) contra o pagamento de auxílio-saúde para os membros do Ministério Público de Mato Grosso, outras 17 entidades assinaram uma nota, nesta quinta-feira (07), reforçando o repúdio contra o Ato Administrativo n° 924/2020.

Assinado pelo procurador-geral de Justiça, José Antônio Borges, e estabelece o pagamento de R$ 1.000 para os membros do órgão e R$ 500 para servidores efetivos e comissionados da instituição. De acordo com o MPMT, a ajuda de custo será apenas destinada aos trabalhadores ativos do órgão e pretende contribuir, por meio de ressarcimento parcial, com as despesas decorrentes de gastos relativos à saúde.

O Sindmat considerou inadmissível o auxílio saúde, visto que os servidores do MPMT gozam de estabilidade o trabalho e altos salários, enquanto devido a pandemia do novo coronavírus milhares de pessoas estão perdendo seus empregos.

Entre as 17 entidades que reforçaram o repúdio ao ato, destacando a crise econômica que Mato Grosso passa, que já repercute negativamente nos cofres públicos, estão a Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), Associação dos supermercados de Mato Grosso (ASMAT), Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá (ACC), Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso (Sindipetróleo), entre outros.

Confira a nota na íntegra:
A CDL Cuiabá – Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá, FCDL-MT- Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas do Estado de Mato Grosso, FACMAT-Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Mato Grosso, ACC-Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá, ASMAT- Associação dos Supermercados de Mato Grosso, AEDIC-Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá, ACOMAC-MT Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Estado de Mato Grosso, ABIH-MT Associação Brasileira da Indústria de Hotéis, ABRASEL-MT – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes, SECOVI-MT – Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais, Comerciais e Condomínios de Cuiabá e Várzea Grande, SINDIPETROLEO – Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso, SINCOVAGA – Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Cuiabá, SINDIOPTICA MT – Sindicato do Comércio de Ópticas de Mato Grosso, SINCAD – Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Estado de Mato Grosso, SINDICOMAC- MT – Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção, Elétrica, Hidráulica, Louças, Tintas, Ferragens e Vidraçaria do Estado do Mato Grosso, SHRBS MT – Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de MT, neste ato, representadas pelos seus respectivos presidentes, vêm a público MANIFESTAR REPÚDIO contra o Ato Administrativo nº 924/2020, da lavra do Procurador-Geral de Justiça do Estado de Mato Grosso, Dr. José Antônio Borges Pereira, publicado no Diário Oficial eletrônico na data de 05/05/2020, que instituiu ajuda de custo para despesas com saúde para membros do Ministério Público do Estado de Mato Grosso, no valor de R$ 1.000,00 (um mil reais) para procuradores e promotores e R$ 500,00 (quinhentos reais) para servidores.
As entidades signatárias, cumprindo seu papel democrático e representativo da classe empresarial, manifestam-se contrárias à instituição da referida “ajuda de custo”, tendo em vista a grave crise econômica que o Estado de Mato Grosso vem atravessando em decorrência da Pandemia do Covid-19, que já repercute negativamente nos cofres públicos, com queda significativa de arrecadação no mês de Abril.

Como se não bastasse o fato acima, frisa-se, ainda que, milhares de pessoas já perderam seus empregos e outros milhares, que trabalham no campo da informalidade e na condição de autônomos, estão sem conseguir auferir renda em razão da crise econômica que se instaurou em nosso Estado e, por mais esses motivos, afigura-se totalmente desproporcional e desarrazoada a criação da tal “ajuda de custo”, mesmo porque os ilustres Promotores e Procuradores são funcionários públicos que auferem um dos mais elevados salários pagos pelo Estado de Mato Grosso.

O que se espera dos Órgãos e Agentes Públicos, sobretudo em tempos de recessão econômica, são ações que sigam os princípios pautados na razoabilidade, na moralidade, no equilíbrio econômico-financeiro, na harmonia social, entre outros princípios de iguais relevâncias. Não se discute a “ajuda de custo” ora em comento sob o aspecto legal, mas sim sob o prisma moral, posto que recentemente fora aprovado o congelamento de salários dos servidores públicos municipais, estaduais e federais e dos membros dos três Poderes até o mês de Dezembro de 2021, como medida adicional do programa de enfrentamento do novo Coronavírus e, por mais esse motivo, ressai evidente a incoerência da indigitada “ajuda de custo”.

Quando o Procurador Geral do Estado de Mato Grosso institui a chamada “ajuda de custo”, de forma impositiva e em valor desproporcional, a despeito dos altos salários que auferem os promotores e procuradores e da grave crise econômica que se instaurou no Estado, reacende a imediata necessidade da revisão de seus atos e da conscientização acerca da grandeza da função pública que exercem e, que nesse momento, têm que ser exemplo de colaboração e contribuição para o necessário enxugamento da máquina pública, priorizando a destinação de recursos para a saúde pública, para viabilizar o melhor enfrentamento da doença.

É o que todos esperam!

Cuiabá, 07 de Maio de 2020.

CDL Cuiabá- Câmara de Dirigentes Lojistas de Cuiabá
FCDL Mato Grosso – Federação das Câmaras de Dirigentes Lojistas de Cuiabá
FECOMÉRCIO – Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado de Mato Grosso
FACMAT – Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado de Mato Grosso
ACC – Associação Comercial e Empresarial de Cuiabá
ACOMAC MT – Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção do Estado de Mato Grosso
ABIH MT – Associação Brasileira da Indústria de Hotéis
SINDIPETROLEO – Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo do Estado de Mato Grosso
SINCAD – Sindicato do Comércio Atacadista e Distribuidor do Estado de Mato Grosso
ASMAT – Associação dos Supermercados de Mato Grosso
AEDIC – Associação das Empresas do Distrito Industrial de Cuiabá
ABRASEL MT – Associação Brasileira de Bares e Restaurantes
SECOVI MT – Sindicato das Empresas de Compra, Venda, Locação e Administração de Imóveis Residenciais, Comerciais e Condomínios de Cuiabá e Várzea Grande
SINCOVAGA – Sindicato do Comércio Varejista de Gêneros Alimentícios de Cuiabá
SINDIOPTICA MT – Sindicato do Comércio de Ópticas de Mato Grosso
SHRBS MT – Sindicato de Hotéis, Restaurantes, Bares e Similares de MT
SINDICOMAC MT – Sindicato do Comércio Varejista de Materiais de Construção, Elétrica, Hidráulica, Louças, Tintas, Ferragens e Vidraçaria do Estado do Mato Grosso

0 0 vote
Article Rating
Se inscrever
Notificação de
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments